Caso Backer serve de alerta sobre o poder do seguro em momentos críticos

Caso Backer serve de alerta sobre o poder do seguro em momentos críticos

Por: Júlio Murta*

Após mais de três anos e meio, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e a Cervejaria Três Lobos firmaram um acordo para indenizar as vítimas de intoxicação pelo consumo da cerveja Backer, uma de suas marcas. Serão pagos R$ 500 mil para cada vítima e R$ 150 mil a título de danos morais para cada familiar de primeiro grau.

Para quem não lembra o que houve, em janeiro de 2020, a cerveja Backer foi identificada como fonte de intoxicação que resultou na morte de dez pessoas e deixou outras com graves problemas de saúde. O fato rapidamente ganhou repercussão e ficou conhecido como o “Caso Backer”.

A contaminação das cervejas abriu um profundo debate sobre a responsabilidade das empresas na garantia da segurança dos produtos que chegam aos consumidores. A Backer foi confrontada com uma série de desafios, incluindo recolhimento de produtos, interdição de fábrica e ações judiciais. Nesse cenário de crise, fica evidente a necessidade de uma abordagem estratégica para minimizar os impactos.

O “Caso Backer” também destaca a importância do seguro em momentos críticos. Empresas que possuem o seguro adequado estão mais bem preparadas para lidar com as consequências financeiras e legais de eventos imprevistos, como contaminação de produtos. No caso da Backer, a presença de um seguro de responsabilidade civil teria sido uma linha de defesa essencial para enfrentar as ações judiciais e cobrir os custos relacionados à crise.

   PARTICIPE DO GRUPO DE WHATSAPP PARA PROFISSIONAIS DE SEGUROS

Um aspecto muitas vezes negligenciado é a proteção que o seguro de produtos contaminados pode oferecer à própria empresa. Além de amparar terceiros afetados, este seguro pode incluir coberturas para contaminação acidental e intencional de produtos. Em casos como o da Backer, a empresa poderia ter acionado o seguro para cobrir os custos de recall, destruição e reposição de produtos.

Outra vantagem notável do seguro de produtos contaminados é a assistência especializada em casos de crise e consultoria previa ajudam a empresa a se preparar, responder e recuperar de maneira eficaz, minimizando danos à reputação e impactos financeiros, incluindo a proteção de todos os envolvidos na cadeia, desde funcionários até consumidores finais.

Em última análise, o “Caso Backer” nos lembra que a gestão de riscos é fundamental para a sustentabilidade e sucesso a longo prazo de qualquer empresa. A indústria de alimentos e bebidas deve abraçar medidas preventivas, como implementar práticas de segurança robustas e adquirir seguros de produtos contaminados que não só protegem terceiros, mas também garantem a própria continuidade do negócio.

À medida que as empresas buscam se destacar em um mercado competitivo e complexo, o investimento em segurança e proteção é uma estratégia que não pode ser subestimada. O “Caso Backer” deve servir como um lembrete de que crises podem acontecer com qualquer empresa, mas estar preparado com o seguro certo pode fazer toda a diferença entre um desastre irreparável e uma recuperação eficiente. Fica a lição e o alerta deste caso!

*Júlio Murta é sócio da HUBSEGS Assessoria

Leia, por fim, a 35ª edição da revista:





©2024. Seguro Nova Digital, a revista online do mercado de seguros. Todos os direitos reservados.

Primeira revista digital do mercado segurador, a Seguro Nova Digital é o resultado de uma ampla pesquisa, baseada nas transformações do setor e dos consumidores. O veículo surge a partir da necessidade da criação de conteúdos exclusivos no ambiente online. Para atender a demanda de clientes e usuários de todas as idades, os meios eletrônicos dispõem de ferramentas peculiares que estimulam à leitura.

A praticidade diária, a capacidade de interação, o compartilhamento de ideias em pouco tempo e o apreço pelo meio ambiente são componentes que se alinham com as mudanças de hábito do consumidor e com o desenvolvimento do mercado de seguros.

Nosso objetivo é ser um meio efetivo de comunicação, com o público que a empresa deseja atingir. Queremos decidir pautas junto ao cliente, abrir espaço para interação entre corretores, ouvir opinião do consumidor final do produto/serviço, dialogar com os porta vozes das companhias, ser um canal de referência e oxigenação no mercado.

Para isso, além dos tradicionais veículos de comunicação (site, Facebook, Linkedin e Instagram), formaremos grupos de discussão e divulgação por Whatsapp, vídeos entrevistas, sempre enaltecendo à opinião dos corretores. Nossa missão é colocar a sua informação e sua marca no caminho do público-alvo.

Somos profissionais formados na área de comunicação: Jornalismo e Relações Públicas. Assim, por meio de uma análise de quatro anos do setor de seguros, entendemos que fazer um trabalho diversificado, de relevância e com grande expertise para o segmento é essencial àqueles que desejam contribuir para o mercado.