05/12/2020

Indenizações de seguros pagas a clientes devem disparar em meio ao coronavírus

Indenizações de seguros pagas a clientes devem disparar em meio ao coronavírus
Em meio aos desdobramentos da pandemia do novo coronavírus na economia brasileira, o setor de seguros já espera um forte crescimento nas indenizações de seguros pagas aos clientes, com potencial de chegar a um dos maiores níveis da história. Em alguns ramos, especialistas esperam que as indenizações podem mais que dobrar, em comparação ao que vinha sendo desembolsado antes da crise.
Em geral, os contratos de seguros não incluem ressarcimento devido a pandemias, pelo risco incalculável que essas situações representam, mas as seguradoras estão analisando as apólices para entender, caso a caso, se há espaço para cobertura. “Cada contrato de seguro é único e vai prever determinadas coberturas e exclusões, mas os segurados vão apresentar notificações em produtos específicos”, diz Marcela Hill, advogada do escritório Campos Mello.

Leia também:

Susep reinicia cadastramento dos corretores com automatização dos processos

Historicamente, grandes catástrofes levam a um elevado pagamento de sinistros, como terremotos ou tsunamis, mas são pontuais e limitadas a países ou regiões. “Essa pandemia é globalizada. Pode ser um fato inédito para fins de sinistros de seguradoras e resseguradoras”, diz Jaqueline Suryan, também do escritório Campos Mello, acrescentando que os próprios segurados tendem a buscar compensação para riscos não cobertos.
Indenizações de seguros
Por fim, você pode debater sobre este e outros assuntos no grupo de WhatsApp da Seguro Nova Digital exclusivo para profissionais de seguros. Faça parte clicando aqui.
Leia a quinta edição da revista:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *