22/09/2020
Sem diálogo com corretores, Susep determina data de início da divulgação das comissões

Sem diálogo com corretores, Susep determina data de início da divulgação das comissões

A partir de 1º de julho, o valor da comissão de corretagem deverá ser obrigatoriamente informada ao segurado. “A taxa de corretagem precisa estar explícita nas apólices. Isso já aprovado, é uma questão legal. A legislação que pede essa transparência” afirmou a superintendente da Susep, Solange Vieira em “live” realizada pela autarquia nesta quarta-feira (22).

Na mesma ocasião, o procurador geral da Susep, Igor Lourenço, explicou que foi dado um prazo de adaptação (até o dia 1º de julho), mas que deverá ser cumpria essa “obrigação legal” e de transparência. “É uma questão que está prevista, inclusive, no Código de Defesa do Consumidor e que foi regulamentada por resolução do CNSP”, frisou.

No último dia 11 de março, a Susep divulgou em seu site que seria obrigatória a transparência da comissão de corretagem, até então desconhecida pelos consumidores. O diretor técnico da autarquia explicou o objetivdo a decisão. “Uma relação equilibrada entre o provedor do seguro e o consumidor é fundamental para a construção de um mercado de seguros forte, saudável e competitivo, que atenda de fato ao interesse da sociedade”.

Corretores repudiam

Os corretores criaram um abaixo-assinado contra a divulgação de comissões referentes à comercialização de seguro. A petição conta, até o momento da publicação desta matéria, com quase seis mil assinaturas. A norma da Susep obriga corretores de seguros informarem o montante da remuneração pela intermediação do contrato. Além disso, o texto prevê a divulgação dos respectivos valores de prêmio comercial ou contribuição do contrato a ser celebrado. Sendo assim, antes da aquisição do produto de seguros, o consultor deve informar ao cliente qual será sua remuneração por intermediar a venda.

Por fim, você pode debater sobre este e outros assuntos no grupo de WhatsApp da Seguro Nova Digital exclusivo para profissionais de seguros. Faça parte clicando aqui.
Leia a quinta edição da revista:

12 thoughts on “Sem diálogo com corretores, Susep determina data de início da divulgação das comissões

  1. A D. Solange Vieira, deveria disponibilizar mensalmente o seu Contra Cheque, para a sociedade, pois assim ela daria o exemplo.

  2. Uma chuva de processos em todo o Brasil contra essa medida vai resolver esse problema rapidinho, ninguém deve ser obrigado a divulgar seus vencimentos, quando vou comprar um remédio não vem escrito o lucro da farmácia na nota fiscal, quando vou ao açougue comprar carne também não vem escrito o lucro dessa empresa sobre cada kl de carne que eu compro e assim é em toda e qualquer compra que fazemos, por que devemos declarar nossos ganhos ao cliente?

  3. Eu não pergunto para uma loja de roupa quanto a empresa está ganhando em cima da blusa que eu compro e nem para o padeiro quanto ele ganha em cima do pão…. pq temos que informar?

  4. Considero justo o consumidor ter ciencia dos percentuais aplicados ao produto/serviço, para a composição do custo final, pois claro ele quem paga, agora, isso será aplicado aos Bancos, pois os seus ganhos são astronomicos, e ninguem tem acesso, e vamos mais alem, onde são aplicados os valores recolhidos pelos impostos, estes tambem não são justificados, creio que faltou às instituições, pagar os Lobs, a legislativo, para impedir este absurdo que hora se apresenta no nosso mercado

  5. Ja temos um percentual de limite máximo e minimo. Eu darei todo suporte ao cliente durante no minimo o período de um anos, pois bem sabemos que algumas apólices mesmo após o fim da vigência mantem cobertura caso ajam reclamações posteriores. Cabe a mim decidir (entre o percentual minimo e máximo) o quanto cobrarei por esse atendimento , afinal há caso em que vai além do escritório, além das 24 hrs para urgência e emergências, além do físico , além do conhecimento além de muita coisa. Somente quem atua na área sabe que o corretor atua interruptamente. Para que EU possa comercializar EU pago minha especialização, EU pago meu aluguel, EU pago meu telefone, EU pago minha internet, EU pago meus funcionários, EU pago meus impostos, EU pago minhas contribuições, EU EU EU CORRETOR DE SEGUROS PRECISO CONTABILIZAR TUDO ISSO !
    E quantas vezes eu trabalho sem ganhar nada por, cotar seguros sem efetivação, por propostas recusadas, por propostas improdutivas, por endossos sem movimento de premio e por ai vai?
    Vale lembrar que não estamos assaltando, roubando se quer alguém. Estamos recebendo nossa participação pela instrução, analise, venda e comercialização. Recebendo pelo oficio da nossa profissão!
    Passem mais tempo investigando e fiscalizando quem esta trabalhando ilegalmente e não vindo a punir quem contribui com a sociedade num todo e que recebe sob seu serviço. Não é o cliente quem paga nossa comissão! Somos nós que por diversas vezes nos desgastamos, nos comprometemos com metas para trazer a melhor condição , custo e beneficio pro segurado.
    Porque nossa comissão passou a ser tão incomodo a SUSEP?
    Caros vale lembra-los que é sob esse valor que pagamos nossos impostos. Diferente de outros setores temos 100% de notas fiscais emitidas. Se eu ganhar bem e pago bem por isso!
    Nossa profissão esta sendo desafiada pelo órgão que deveria estar do nosso lado , trabalhando ao nosso favor.
    Me enoja situações como essas. Me decepciona. Me faz acreditar que não se reconhece o serviço qualificado.
    Lamentavel !!!
    Visões como essa abrem a brecha para as irregularidades que acabam com a seriedade e compromisso de uma nação!

  6. Porque a SUSEP não determina comissão 20%, para todos os Ramos de seguros, aí resolve o problema, e pode divulgar à comissão, torna-se lei… o que não pode ela querer fixar a comissão na apólice e tornar o corretor o bandido da história, porque a margem de lucro das seguradoras não estarão nas apólices…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *