26/01/2021

Ciclone bomba: Sompo Seguros implementa plano de contingência

Ciclone bomba: Sompo Seguros implementa plano de contingência
Fenômeno que atingiu 171 municípios do Sul do País gerou ocorrências em diversas localidades

A Sompo Seguros S.A implementou um plano de contingência que visa dar atendimento prioritário aos segurados em decorrência do ciclone extratropical, também conhecido como ciclone bomba. O desastre atingiu sobretudo a Região Sul do País nos dias 30 de junho e 1 de julho. Só até o dia 2 de julho, cerca de 559 sinistros (ocorrência de danos patrimoniais) foram comunicados à seguradora. Desse total, 71% foi em Santa Catarina, seguido do Paraná (18%) e Rio Grande do Sul (11%).

“A Sompo Seguros já conta com uma política de atuação em eventos de grandes proporções, sobretudo em questões ligadas a fenômenos climáticos, a exemplo de tempestades, alagamentos, chuvas de granizo e até ciclones. Mobilizamos especialistas e uma série de ferramentas que facilitam o atendimento ágil aos corretores de seguros e segurados nesse momento delicado”, afirma Andreia Paterniani, diretora de Sinistro da Sompo Seguros. “Nessas situações trabalhamos com prioridade máxima ao atendimento com o único propósito de indenizarmos os prejuízos no menor prazo possível”, ressalta a executiva.

   PARTICIPE DO GRUPO EXCLUSIVO PARA PROFISSIONAIS DE SEGUROS

Entre os segurados da companhia, danos se concentram principalmente nos ramos Empresarial (44%), Condomínio (29%) e Residencial (23%). Os 4% restantes estão relacionados a outras modalidades de seguros (Riscos Nomeados, Riscos de Engenharia etc). Entre as ocorrências, destelhamentos de lojas, supermercados e casas, quedas de árvores e quebra de vidros são alguns dos danos mais apresentados.

Leia também:

CEO da Sompo diz que corretores sairão fortalecidos da pandemia

“Esses dados são referentes aos sinistros comunicados até 2 de julho. Outros requerimentos devem ser efetuados à medida em que os segurados tiverem oportunidade de comunicar os danos à seguradora. Nossas equipes das oito filiais nos três Estados da Região Sul trabalham em conjunto com a equipe de Sinistros para viabilizar uma conclusão ágil dos processos para minimizar perdas e contribuir para que os segurados possam restabelecer suas atividades o mais rápido possível”, observa Alberto Muller, diretor da Sompo Seguros na Região Sul. 

Alberto Muller, diretor da Sompo Seguros na Região Sul
Alberto Muller, diretor da Sompo Seguros na Região Sul

Segundo os boletins emitidos pelas entidades de defesa civil do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná na terça-feira, dia 30 de Junho e quarta-feira, dia 1 de Julho, 171 municípios foram atingidos na Região Sul. No Paraná, por exemplo, 3.127 pessoas foram afetadas, 10 pessoas ficaram feridas e 666 casas foram danificadas. Já no Rio Grande do Sul, 921 edificações foram danificadas. Em Santa Catarina, que teve o maior número de municípios atingidos, 122 segundo o boletim emitido pela Defesa Civil, os danos patrimoniais ainda estão em apuração, mas já há notícia de nove mortes e duas pessoas desaparecidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *