19/09/2020
Como o Seguro Rural pode diminuir os impactos da Nuvem de Gafanhotos

Como o Seguro Rural pode diminuir os impactos da Nuvem de Gafanhotos

Praga causou prejuízos a produtores argentinos, mas deve mudar de rota antes de chegar ao Brasil

Uma nuvem de gafanhotos próxima à fronteira da região Sul do país ameaça as plantações de agricultores gaúchos, catarinenses e paranaenses. Segundo o monitoramento climático realizado por especialistas argentinos, a praga deve seguir em direção ao Uruguai. Entretanto, o Ministério da Agricultura, Abastecimento e Pecuária brasileiro alerta aos órgãos estaduais de Defesa Agropecuária para que sejam tomadas as medidas cabíveis de monitoramento e orientação aos agricultores da região, sobretudo no estado do Rio Grande do Sul.

O Seguro Agrícola é uma das modalidades do Seguro Rural, sendo voltado para as culturas anuais e permanentes. A proteção cobre as explorações agrícolas contra perdas decorrentes sobretudo de fenômenos meteorológicos. Cobre basicamente a vida da planta, desde sua emergência até a colheita, contra a maioria dos riscos de origem externa, tais como, incêndio e raio, tromba d’água, ventos fortes, granizo, geada, chuvas excessivas, seca e variação excessiva de temperatura.

Grupo de Whatsapp Seguro Nova Digital

O corretor Fabio Dias alerta que no Brasil é muito difícil as seguradoras cobrirem sinistros decorrentes de pragas. “As companhias alegam que é um problema cujo o corretor consegue contorná-lo”. O seguro multirrisco cobre perdas de fenômenos meteorológicos.

Dias destaca que pragas e doenças estão excluídas em contratos tradicionais. Ele explica que há um programa do Governo Federal que garante esse tipo de cobertura, mas que é limitado para pequenos produtores, ou seja, é pouco abrangente.

O Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar da Argentina mostrou o prejuízo causado pela nuvem de gafanhotos em lavouras de milho e mandioca. “Notamos a presença de uma nuvem de gafanhoto do Paraguai, em Colonia Santo Domingo, na cidade do General Manuel Belgrano, Formosa. Vamos avaliar a densidade da população da peste e os danos causados ao milho e mandioca”.

Este texto contém informações do AGROBLOG
Sergio Vitor, jornalista especializado em seguros

Jornalista e editor da Seguro Nova Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *