03/08/2020

HDI Seguros prega cautela com o seguro auto pay per use

HDI Seguros prega cautela com o seguro auto pay per use
Quinta maior seguradora de automóvel do país estuda modalidade, mas garante que não está nos planos por enquanto

O seguro auto intermitente vem acalorando os debates desse novo mundo de proteções para veículos. Algumas companhias já investem no diferente modelo de seguro auto, o pay per use, mas de maneira tímida. A HDI Seguros, por exemplo, ainda estuda de qual forma deve aplicar essa modalidade, ou até se realmente vai adicionar esse tipo de proteção à sua carteira.

“Temos um time de matemáticos na HDI e, até o momento, ainda não enxergamos como esse modelo de proteção de automóvel pode realmente ser mais barato que o tradicional”, explicou Murilo Riedel, presidente da seguradora, no programa ‘Mesa Redonda do Seguro’, promovido pelo canal do CQCS no Youtube, na última quinta-feira, 30. Além disso, o executivo vê uma implicação muito grande na modalidade ‘liga e desliga’ do pay-per-use. Isso porque,o segurado pode esquecer de ligar sua proteção ao sair de casa ou de desligá-lo depois que voltar.

Outra implicação constatada pelo executivo foi o desapontamento do segurado ao perceber que o seguro intermitente não compensa tanto assim. Riedel esclareceu que o seguro auto tradicional já faz o cálculo, por perfil, de quanto e como o segurado utiliza seu veículo. Desse modo, as companhias precificam o serviço de forma alinhada com o cliente.

“Precificar o seguro pelo momento de exposição pode deixá-lo até mais caro que o tradicional, que já tem um cálculo matemático muito preciso do segurado”, salientou Riedel. Por isso, ele acredita que o consumidor pode se frustrar ao esperar que o seu seguro por minuto traga economia financeira em larga escala. “Talvez o cliente pague mais caro e com menos conforto que uma proteção tradicional ofereça”.

Riedel lembra, ainda, que mesmo estando na garagem, o veículo está exposto ao risco, seja ele de pequena ou de grande proporção. “Não existe período de exposição ao risco. As pessoas devem entender que a modelagem do seguro tradicional de hoje já traduz o quanto seu veículo está exposto”.

Fase de estudos

Embora considere a modalidade pouco acessível neste momento, Riedel reconhece que a HDI estuda a possibilidade de implementar, mas com cautela.  “É um produto que está na prateleira para a gente pensar”.

“No passado, quando o cálculo do seguro era mais simplificado, talvez o pay per use fizesse mais sentido”. Entretanto, nós temos um grande compromisso com a simplicidade e com a transparência. Não queremos que o consumidor tenha uma expectativa não entendida e que tenha a percepção de que foi lesado”, finaliza Riedel.

   PARTICIPE DO GRUPO DE WHATSAPP PARA PROFISSIONAIS DE SEGUROS

Partículas Seguro Nova Digital
Leia, por fim, a oitava edição da revista:

Sergio Vitor, jornalista especializado em seguros

Jornalista e editor da Seguro Nova Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *