Fenacor estuda ações para combater a divulgação da taxa de corretagem

Fenacor estuda ações para combater a divulgação da taxa de corretagem
Corretores de seguros devem informar o valor da comissão antes de formalizar o acordo com o segurado

A Fenacor é contra a obrigação de informar o valor das comissões dos corretores de seguros. De acordo com a Resolução 382/20, os profissionais devem esclarecer ao cliente qual é o valor da taxa de corretagem antes de assinar o contrato. O texto entrará em vigor a partir de 1º de julho. 

O presidente da Federação, Armando Vergilio, participou do “Fórum de Debates Seg News”, na última sexta-feira, 12. Na ocasião, Armando tratou de temas como recadastramento, posicionamento dos seguradores e sobre a divulgação das comissões dos corretores. 

“Imagine o cliente tendo que escolher entre seguros para veículos oferecidos por duas grandes seguradoras, sendo o primeiro com preço final de R$ 3 mil e comissão de 10%, e o outro a R$ 2,5 mil com comissão a 15%. O que é mais vantajoso? Claro que é o de R$ 2,5 mil. Mas, aí o segurado vai exigir que o seu corretor reduza a comissão até para 5%, sem se importar que em outra seguradora pagaria 20% mais caro pelo seguro. O que importa, na verdade, é a precificação final”, frisou.

Leia também:

Seguradora não informará o valor da comissão, diz CNseg

Embora o valor das comissões não estejam necessariamente estabelecidas na apólice, o corretor de seguros terá o dever de informar ao segurado. Segundo Marcio Coriolano, presidente da CNseg, “será papel das seguradoras zelar para que o corretor cumpra essa tarefa”.

A Resolução 382 da Susep destaca entre outras coisas:

(…) Dos intermediários

§ 1º Antes da aquisição de produto de seguro, de capitalização ou de previdência complementar aberta, o intermediário deve disponibilizar formalmente ao cliente, no mínimo, informações sobre:

(…) IV – o montante de sua remuneração pela intermediação do contrato, acompanhado dos respectivos valores de prêmio comercial ou contribuição do contrato a ser celebrado.

Leia o documento completo aqui

Desse modo, Vergilio acrescentou que a Fenacor estuda medidas para combater o trecho da Resolução, que ele considera “um total absurdo”. Vergilio assegurou que a Fenacor vai reagir. “Estamos estudando a melhor ação que devemos empreender”, antecipou. 

Além disso, o presidente da Federação cobrou posicionamento dos seguradores sobre a taxa de corretagem. Segundo ele, o apoio dos seguradores aos corretores não pode ficar apenas no discurso. “São necessárias ações concretas”, ressalvou.

Por fim, você pode debater sobre este e outros assuntos no grupo de WhatsApp da Seguro Nova Digital exclusivo para profissionais de seguros. Faça parte clicando aqui.






©2024. Seguro Nova Digital, a revista online do mercado de seguros. Todos os direitos reservados.

Primeira revista digital do mercado segurador, a Seguro Nova Digital é o resultado de uma ampla pesquisa, baseada nas transformações do setor e dos consumidores. O veículo surge a partir da necessidade da criação de conteúdos exclusivos no ambiente online. Para atender a demanda de clientes e usuários de todas as idades, os meios eletrônicos dispõem de ferramentas peculiares que estimulam à leitura.

A praticidade diária, a capacidade de interação, o compartilhamento de ideias em pouco tempo e o apreço pelo meio ambiente são componentes que se alinham com as mudanças de hábito do consumidor e com o desenvolvimento do mercado de seguros.

Nosso objetivo é ser um meio efetivo de comunicação, com o público que a empresa deseja atingir. Queremos decidir pautas junto ao cliente, abrir espaço para interação entre corretores, ouvir opinião do consumidor final do produto/serviço, dialogar com os porta vozes das companhias, ser um canal de referência e oxigenação no mercado.

Para isso, além dos tradicionais veículos de comunicação (site, Facebook, Linkedin e Instagram), formaremos grupos de discussão e divulgação por Whatsapp, vídeos entrevistas, sempre enaltecendo à opinião dos corretores. Nossa missão é colocar a sua informação e sua marca no caminho do público-alvo.

Somos profissionais formados na área de comunicação: Jornalismo e Relações Públicas. Assim, por meio de uma análise de quatro anos do setor de seguros, entendemos que fazer um trabalho diversificado, de relevância e com grande expertise para o segmento é essencial àqueles que desejam contribuir para o mercado.